Solto

Deitei-me assim no teu espaço,
Fechei os olhos por um instante,
E o teu corpo desvaneceu,
Tornou-se numa luz brilhante,
Ahhh… meu querido amante,
Quando se ama o corpo é nada
E em silencio ouvimos atentos, 
O que a chuva nos sussurrava.

Edgar Costa

Visitem a minha página no facebook Poemas e poetas da rua

www.facebook.com/poemasepoetasdarua

Solto Solto Reviewed by Edgar Sacadura on terça-feira, dezembro 03, 2013 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.