Uma lenta (R)evolução

Pequeno, que me julgas tolo
Com mentiras me enfeitas?
De mãos dadas já tão cedo,
Duas vontades contrafeitas,
Pequeno, que me julgas tolo
Uma língua e a boca ao medo
Eu sei com quem te deitas
No largo de um romance antigo
Sobre um sol já encoberto
Gela o fogo do inferno e sigo
Uma paixão que não me lembro,
Andorinhas onde vão? Onde vão?
Já lá vem setembro…
Adeus minha paixão!

Edgar Sacadura – Uma lenta (R)evolução

Visitem a minha página no facebook Poemas e poetas da rua
www.facebook.com/poemasepoetasdarua


Uma lenta (R)evolução Uma lenta (R)evolução Reviewed by Edgar Sacadura on terça-feira, dezembro 03, 2013 Rating: 5

Sem comentários:

Com tecnologia do Blogger.